Resenha[Filme]: Ela é o cara


 Dirigido por Andy Fickman e estrelado por Amanda Bynes, o filme Ela é o cara traz um enredo bem adolescente, assim como o elenco, mas o humor é geral. Ele conta a história de Viola, uma garota que ama futebol, e acaba tendo que lidar com o corte do seu time e a priorização do time masculino, no qual seu namorado Justin joga.
  Diante a indiferença de Justin com a injustiça (aquela questão de sempre, de acharem que os garotos jogam melhor que as garotas), Viola não somente termina o relacionamento, como decide ir além. Aproveitando a fuga do seu irmão gêmeo da primeira semana na faculdade para fazer shows com sua banda, ela se passa por ele para jogar no time masculino de lá, que por acaso será o adversário do time de Justin.  

                                                                     Esse é o Sebastian
                                                                                Essa é a Viola... Disfarçada de Sebastian

    Essa ideia louca traz consequencias loucas. Viola acaba se apaixonando pelo colega de quarto Duke, que na verdade é afim da Olivia, garota com quem ela esbarra e acaba fazendo amizade. Olivia se apaixona pelo Sebastian que Viola interpreta, ou seja, confusão certa.

                                                              Olivia, Duke e Viola/Sebastian
  Além do confuso triângulo amoroso, a protagonista tem que se preocupar em treinar arduamente para ganhar o jogo, e fazer de tudo para não ser desmascarada. O que rende muitas risadas. 
  O humor não é apelativo, e os atores são muito bons, com destaque a Amanda Bines (Viola), que consegue desempenhar muito bem a garota-fingindo-ser-garoto. A farsa permite também ver um lado mais feminino de Viola, que é vista primeiramente como bem masculina. Afirmação confusa? Um pouco. Mas faz sentido: no papel de homem, suas características femininas acabaram aflorando e mostrando quem ela realmente é. Como seus delírios amorosos por Duke, e sua sensibilidade.

   

7 comentários

  1. Legal, gostei desse filme e gosto bastante da Amanda Bynes. Não sei se você sabe, mas esse filme parece a releitura de "Quase Igual aos Outros", em que a patricinha Terry finge ser rapaz para escrever uma matéria jornalística pro colégio e termina se tornando um "carinha" super contado mas apaixonado pelo melhor amigo (que não sabe de sua verdadeira identidade). Quem nasceu nos anos 80 deve se lembrar.

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderExcluir
  2. eu amo demais esse filme lembro quando assisti pela primeira vez eu ri tanto tem um outro livro só que em inglÊs que a história é parecida onde a menina finge ser menino para tentar entender como eles pensam eu ainda não li mas a sinopse lembra bastante esse filme.

    ResponderExcluir
  3. tm um selinho p vc lá no meu blog

    bjs

    ResponderExcluir
  4. kk...amei!!
    Parece ser muito engraçado.
    E tbm gostei de saber que o humor não é muito apelativo, com certeza prefiro assim, vou procura-lo para assitir.
    Obrigada pela dica ;)

    Beijoos!
    http://my-literarylife.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Louise!

    Eu adoro esse filme! É um dos meus estilos preferidos, adoro o enredo e essa coisa adolescente! Adorei a sua resenha!!

    Beijos,

    Marcelle
    bestherapy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. AMO esse filme *-* É tão engraçado e realmente os atores são muito bons.

    Brunna Carolinne - My Favorite Book - @MFBook
    http://myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir